domingo, 22 de novembro de 2015

CONSPIRANDO 03 - Jesus, um quebra-cabeças a ser montado! (PARTE 3)



Boa noite conspiradores e amigos leitores do blog !

Desde já, ofereço minhas humildes desculpas pelo lapso de tempo entre os textos publicados nesta coluna, este que voz fala tenta elaborar textos com periodicidade regular, porém algumas obrigações atrapalham a produção e elaboração dos posts. Dado o primeiro recado, rogo aos leitores e conspiradores que gostaram até aqui dos textos publicados que continuem acompanhando, pois mais textos virão.
Hoje falaremos dos ZELOTES, organização armada dos judeus contra o poder Romano na Terra Santa, espero que gostem e que percebam o contexto político em que Jesus estava inserido onde seus seguidores tinham claras intenções revolucionárias, além das transcendentais que o Cristo propunha...   

ZELOTES
No texto anterior abordamos o apelo político que Jesus tinha naquele tempo, tratamos também de uma organização que na época existia e que sim, por envolvimento direto de seus seguidores, Jesus exercia influência política e religiosa.
Estamos falando dos ZELOTES, e num consenso entre o Editor e o Colunista do blog ficou entendido que esse é um capítulo importante da história que merece a devida atenção na elaboração para trazer novas perspectivas aos leitores.

Caros, ZELOTES cuja origem da palavra vem do Grego que significa ‘zelador’ ou ‘zeladores’, nome que é creditado a Simão apóstolo de Jesus presente na Santa Ceia e membro da organização, conforme nos sugere algumas passagens bíblicas... 
Lucas 6,15 "Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelote";

Atos 1,13 "E, entrando, subiram ao cenáculo, onde permaneciam Pedro e João, Tiago e André, Felipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão o Zelote, e Judas, filho de Tiago".
Atos 1,13 "E, entrando, subiram ao cenáculo, onde permaneciam Pedro e João, Tiago e André, Felipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão o Zelote, e Judas, filho de Tiago".
A organização consistia no zelo das leis de Deus, ou seja, na manutenção das leis judaicas e na crença dela, porém naquele tempo a organização tinha um pensamento muito mais austero e tradicional das doutrinas religiosas. Flavio Josefo historiador famoso daquele tempo descrevia a seita desta maneira:
A seita dos Zelotas é referida por  Flávio Josefo como vil, que a responsabiliza pela incitação da revolta que conduziu à destruição de Jerusalém e do Templo de Salomão, referenciais para a cultura e religião judaicas.”
Mas o pensamento que ensejou o começo da organização e a revolta foi a de que tratava-se de heresia pagar impostos ao Imperador pagão que cultuava mais de um Deus (a cultura Romana à época era politeísta), quando segundo as leis Judaicas só existia um único Deus (sistema monoteísta) e a libertação do povo Judeus do Império Romano era a aspiração daquele povo, porém além de religiosa a luta também tinha cunho político, visto que os sacerdotes do templo se beneficiavam pois eram cobrados impostos pelos sumos sacerdotes do Sinédrio, e outra parte destinava-se ao império Romano. É amigos a corrupção não é coisa nova, quanto menos NOSSA.
A organização EXTREMISTA em analogia rápida se equivaleria hoje a Opus dei seita cristã no âmbito religioso que leva a risca a doutrina de sua igreja, e no âmbito político e extremista de por que não o Estado Islâmico?

Os mesmos acreditavam nas palavras ditas por Jesus naquele tempo com discursos inflamados contra os administradores e governantes na província israelita enaltecendo seu povo judeu das amarras do Poder Romano exercido sobre o povo de Israel, e mais, Judas Iscariotes o Traidor era adepto aos ZELOTES, há conspirações de que o mesmo traiu seu Rabi JESUS, pelo mesmo não apoiar a revolta armada contra a tirania Romana, mas esse é assunto pra outo post. 
Importante salientar que no “livro sagrado” não há referências de Jesus promovendo a revolta contra Roma, mas seria insano dizer que o mesmo não conhecia a organização que arquitetava a revolta, porém há uma passagem histórica bem conhecida sobre a expulsão de comerciantes no templo, que se interpretada as palavras e ações do Rabi pode sim terem influenciado e incitado diretamente uma ideia que crescia naquele grupo, o trecho bíblico a seguir ilustra bem onde queremos chegar:
Assim que Jesus entrou em Jerusalém, toda a cidade ficou alvoroçada, e comentavam: “Quem é este?” Então as multidões exclamavam: “Este é o profeta Jesus, vindo de Nazaré da Galiléia!” O templo é casa de oração! 
Tendo Jesus entrado no pátio do templo, expulsou todos os que ali estavam comprando e vendendo; também tombou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos comerciantes de pombas. E repreendeu-os: “Está escrito: ‘A minha casa será chamada casa de oração’; vós, ao contrário, estais fazendo dela um ‘covil de salteadores’”.
Em suma caros, a crucificação de Jesus foi a gota d’água para que a primeira cruzada fosse iniciada entre ZELOTES x IMPÉRIO ROMANO em 6 D.C. (depois de Cristo), orquestrada por outro Judas o Galileu, dados os fatos fica a pergunta:
SERÁ QUE NOS CONTARAM A HISTÓRIA CORRETA SOBRE JESUS?


Saudações conspiradores e aguardem nosso próximo post.     

Nenhum comentário:

Postar um comentário