segunda-feira, 12 de outubro de 2015

CONSPIRANDO 02 - Jesus, um quebra-cabeças a ser montado! (PARTE 2)



Salve amigos leitores, e conspiradores, o post de hoje tem como objetivo tratar  um pouco da representatividade política de Jesus em seu tempo e como andavam os ânimos naquela época na antiga Jerusalém. Para facilitar o entendimento e a familiarização com alguns termos que geralmente são utilizados porém nem sempre entendidos, elaboramos legendas no final do texto...   

Jesus, naquele tempo era visto não só como o MESSIAS, um PROFETA, ou brilhante orador, mas também como uma ameaça política iminente ao líder e sacerdote do Sinédrio*, Caifás* e Herodes Antipas*, descendente da casa de Davi Rei de Israel, assim era e foi o entendimento desses. Os mesmos orquestraram a crucificação de Jesus, que pelas leis judaicas foi um ato totalmente arbitrário e ilegal, e este capítulo da história contaremos em um próximo post com mais detalhes. Jesus com seu brilhantismo e doutrina voltada à caridade e amor ao próximo, clamava por uma vida justa e IGUAL, livre de abusos e vontades de reis, líderes, e sacerdotes cujo o entendimento do filho do Homem só havia um reino, o de Deus seu pai. Em algumas passagens bíblicas, podemos claramente visualizar os alertas e sua pregação sobre o mercantilização e banalização da fé humana, atitudes completamente rejeitadas por ele e assim descritas...

Mateus 21
12- Tendo Jesus entrado no pátio do templo, expulsou todos os que ali estavam comprando e vendendo; também tombou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos comerciantes de pombas. 13- E repreendeu-os: “Está escrito: ‘A minha casa será chamada casa de oração’; vós, ao contrário, estais fazendo dela um ‘covil de salteadores’”.  
14- Então levaram a Jesus, no templo, cegos e aleijados, e Ele os curou:15-Entretanto, quando os chefes dos sacerdotes e os escribas viram as maravilhas realizadas por Jesus, e as crianças exclamando no templo: “Hosana ao Filho de Davi!”, revoltaram-se e indagaram dele: 16-“Não ouves o que estas crianças estão proclamando?” Ao que Jesus lhes respondeu: “Sim. E vós, nunca lestes: ‘Dos lábios das crianças e dos recém-nascidos suscitaste louvor’”. 17- E, deixando-os, saiu da cidade em direção a Betânia, onde passou a noite.
Tal discurso atraia não só os oprimidos a seu lado, mas os rebeldes e os ZELOTES, que eram uma seita judaica paralela e financiada por alguns integrantes do Sinédrio, dentre eles estavam José de Arimatéia e Simão (apóstolos de Cristo). 
Sim CONSPIRADORES, dois apóstolos do nosso senhor estavam diretamente ligados ao grupo, um era um dos líderes do grupo e o outro, não participava ativamente mas era um doador importante, daí podemos perceber uma das condições que faziam destes agentes seguidores fiéis do Cristo, pois o grupo tinha intenção de retomar a posse de Israel, das mãos de Roma, através de uma luta armada se assim fosse a saída, então, pelo discurso do Messias que "profanava" contra a tirania da elite política e sempre dizia sobre a terra prometida e sabidamente para esses dois líderes(Simão e José), assim neste contexto que Caifás Sumo Sacerdote do Sinédrio e Herodes Antipas Rei de Israel por direito na casa de Davi, sabiam e temiam a força de cunho político de Jesus naqueles tempos, onde talvez perderiam o PODER, e o controle sobre o povo Israelense por revoltas populares organizadas que se inspiravam nas palavras de Jesus onde viam nelas, as possibilidades reais de mudanças políticas para seu povo, aspiravam por uma senso de liberdade perdido não só com deposição de Roma, mas também facilitada e financiada pela elite local religiosa de seus próprios conterrâneos...      

Portanto caros leitores, essa é uma das partes em que o livro sagrado não nos conta, sobre o envolvimento de dois apóstolos do filho do Homem com o grupo dos Zelotes, que naquela época se armavam para primeira cruzada da história cristã. Bem por hoje é só aguardem o próximo post onde nos aprofundaremos sobre os Zelotes e falaremos do modo como Jesus era visto como o Messias, até qualquer hora !

LEGENDAS:


*Sinédrio: Assembléia judia de anciãos da classe dominante à qual diversas funções políticas, religiosas, legislativas, jurisdicionais e educacionais foram atribuídas. A palavra aparentemente foi aplicada a diversos corpos diferentes, mas designa especialmente a suprema corte judia legislativa e judicial de Jerusalém, o Grande Sinédrio

*Caifás: Citado na Bíblia nos livros Mateus, Lucas, Marcos, João e Atos; José Caifás, ou apenas Caifás como é conhecido, foi Sumo Sacerdote e presidente do Sinédrio – o supremo tribunal dos judeus. A fonte literária mais confiável sobre sua vida, é a obra Antiguidades dos Judeus, composta pelo historiador do século I, Flávio Josefo. De acordo com o historiador, Caifás foi nomeado por volta do ano 18 Sumo Sacerdote dos judeus pelo procurador romano Valério Grato, predecessor de Pôncio Pilatos, e deposto por Vitélio em torno do ano 36, governando assim, mais tempo do que qualquer outro sumo sacerdote nos tempos do Novo Testamento

*Herodes Antipas: Foi um filho de Herodes, o Grande por uma de suas esposas, a samaritana Maltace. Ele foi tetrarcada(Governador ou Chefe) Galileia e da Pereia. É mais conhecido através dos relatos do Novo Testamento por seu papel nos eventos que levaram às execuções de João Batista e Jesus de Nazaré.

REFERÊNCIAS:

Herodes Antipas
Caifás
Sinédrio

Nenhum comentário:

Postar um comentário