terça-feira, 28 de julho de 2015

Resenha 01-Rosa Branca de Umbanda(Ícone Editora)

Saudações a todos !

É com muita satisfação que anunciamos nossa primeira parceria! Nós e a Ícone Editora firmamos um compromisso que, sem dúvidas, será mais um canal de informações e entretenimento para vocês, nossos leitores...
A resenha de livros especializados sobre a religião de Umbanda e outras do segmento, é um de nossos principais projetos, pois, toda a estrutura da produção do blog está centrada pela pesquisa orientada dos livros e da nossa vivência diária no contexto religioso da Umbanda.

Desta parceria, visamos, fomentar a conscientização do estudo contínuo para o aprimoramento pessoal que consequentemente nos transformará em umbandistas mais conscientes, sobretudo, do nosso papel perante a sociedade e ao grupamento que pertencemos, além é claro, do caráter reflexivo sempre proposto por este canal, serão estes, alguns de nossos objetivos.

Para iniciarmos este novo espaço, sugerimos aos leitores um dos mais recentes lançamentos da Editora :









ROSA BRANCA DE UMBANDA
 Autor: Rogério Golemieski
 Ícone Editora
 Categoria: Umbanda
 ISBN 978-85-274-1287-2
 Ano: 2015
 17 x 24 cm
 232 páginas









Resenha:

Esta obra apresenta uma visão do ritual de umbanda alinhada aos fatos históricos e fundamenta a prática do ritual com uma justificativa antropológica, o texto rompe as barreiras dos rótulos e da posse do ritual como algo que pertence a um paradigma humano, elevando seu contexto para além das fronteiras entre o mundo material e o mundo espiritual.
A obra resgata a importância dos valores morais e éticos na prática do ritual, e discute fatos polêmicos como o porquê de a religião ter tido como seu primeiro nome ALA-banda,, termo de origem muçulmana, o surgimento das 7 linhas a exploração comercial da mediunidade, destaca a linguagem dos símbolos como conceito que justifica o fato de a religião de umbanda ser uma religião voltada para a magia, fazendo uso de velas, fumo, álcool, pontos riscados, pontos cantados, banhos, o uso de guias, nem por isso deixando de ser monoteísta e tendo Deus como única fonte criadora.  
Apresenta a prática das oferendas, justificando-a com base na antropologia, explicando os passos do ritual desde a consagração até a consumação do ato, simbologia antiga ainda viva de forma oculta em práticas modernas. o texto questiona sobre a possibilidade de incorporar-se um orixá, sendo ele uma força celestial, e apresenta a polêmica linha de Exu, sua finalidade, sua forma de trabalhar e como se surgiu o conceito negativo sobre essa linha de trabalho, principalmente por associá-la ao diabo e à prática do mal. O texto discorre sobre temas como a reencarnação, leis cármicas, ação e reação e defende que a verdadeira umbanda é uma religião totalmente voltada e comprometida com a CARIDADE!



Nenhum comentário:

Postar um comentário