quinta-feira, 14 de maio de 2015

Análise e Reflexão sobre o livro - "O Lado Oculto da Transição Planetária"




Saudações a todos !

Transição planetária, limpezas, defesas e colonização de submundos astrais, reurbanizações extra-físicas, dragões, ovoides, guardiões, mudanças de hábitos, tendências e novos conceitos...O que são todas essas idéias e termos que tanto permeiam a literatura espiritualista na atualidade ? Quais são as verdadeiras mensagens que os espíritos através da mediunidade dos encarnados estão cada vez mais preocupados em passar-nos ? Qual o motivo de toda essa "campanha" em torno de novos acontecimentos ? 

O livro "O Lado Oculto da Transição Planetária" com autoria espiritual de Maria Modesto Cravo, através da mediunidade de Wanderley Oliveira é uma publicação da Editora Dufaux, um romance espírita onde temas são abordados com textos leves e interessantes, narram os novos desafios que a humanidade tanto encarnada quanto desencarnada enfrentam diariamente em suas missões práticas no socorro espiritual, através de suas comunidades "espiritualistas" espalhadas por toda a terra.

Ao lermos este livro, percebemos a necessidade de abordagem "urgente" que ele sugere, pois mesmo tratando-se de literatura espírita, não concordamos que tais problemáticas sejam exclusividades dos "espíritas", elas deveriam ser (e são) preocupações que todas as vertentes ditas espiritualistas deveriam ter, principalmente se utilizarem dos trabalhos mediúnicos como base de doutrina e neste caso a Umbanda enquadra-se perfeitamente, pelos menos aos nossos entendimentos. 

O livro segue um tendência "contemporânea", já bem trabalhada pelo médium Robson Pinheiro na trilogia "Senhores da Escuridão" que por caminhos diferentes e até mais "técnicos" ou "minuciosos" vem explorando esses debates e acontecimentos. Longe de ser uma "cópia" ou dedicar-se ao cargo de "concorrente", "O Lado Oculto da Transição Planetária" soma à atual conjuntura do acontecimentos em todos os planos da vida, está focado nas relações humanas dos grupamentos mediúnicos analisando como os desdobramentos deste intercâmbio entre agentes, quando não conduzidos com seriedade, clareza de idéias e conceitos, não desprendidos de uniformizações doutrinárias emperram seus limites em favor da caridade, ou seja, o livro orienta as pessoas e comunidades em favor da expansão de consciência e auto-avaliação, na absorção e prática dos ensinamentos que adquirimos a partir da vivência dos estudos e trabalhos espirituais. Combate a cristalização mental provocado pelo excesso de religiosismo em detrimento das mudanças de postura que devemos ter ante a vida e as pessoas...
"...A Religião é como um remédio prontinho para ser tomado, e o religioso é o doente que precisa dele.  
Quando um religioso acredita que sua religião pode ajudar outras pessoas, ele apresenta sinais de que está começando a dar valor ao que está ingerindo.
Quando o religioso acredita que sua religião é o único remédio que pode curar a todos, ele apresenta sinais de como está doente e do quando precisa do remédio que está tomando.
Quando o religioso acredita que está curado e que ele é mais importante que a religião, ele demonstra o nível  de sua loucura. 
Religião é uma benção, quando não fazemos dela um trampolim para o nosso ego..."   (páginas 173 e 174 do livro)
Outros pontos interessantes pontos podemos identificar na narrativa são os, tratamentos espirituais de quebra de magia, desdobramentos astrais, preconceito e homofobia, despreparo de dirigentes entre outros, que ao analisarmos fazem parte do repertório cotidiano dos centros, tendas, terreiros e casas espiritualistas. Um dos pontos que mais nos chamaram a atenção refere-se ao momento onde tratam dos estudos e das práticas institucionais que realizam cursos de formação voltados para comunidade espiritualista...
"...No mundo físico, as alternativas de preparo para os aprendizes da mediunidade possam alcançar melhores resultados se encontram na periferia do problema. Alguns chegam a ser radicais em suas iniciativas. A maioria delas convergem para estudos, sobretudo estudos unicamente focados nas obras de Allan Kardec. Cursos, cursos e mais cursos. Não temos nada contra tais iniciativas, mas, sim, quanto sua clara ineficiência na mudança profunda e consciente do trabalhador. O estudo parece causar uma sensação de solução, porém, poucos avaliam as reais conquistas de tanto investimento. São valorosos, mas não detêm exclusividade na eficiência..."(página 196 do livro.)      
Nós (aqui do Blog) em postagens anteriores já mencionamos e  reafirmamos nossa postura e opinião, fazemos inclusive um convite ao leitor para identificar a informação em outras postagens. Somos totalmente a favor do estudo em todas as áreas da vida humana, principalmente no que tangem as matérias que ajudam a entendermos nossa religião, sobretudo a Umbanda para nós umbandistas, porém, a prática nos terreiros assim como os ensinamentos e os exemplos de posturas dos guias espirituais, dos dirigentes encarnados (quando são responsáveis e sérios), não podem ser substituídos por qualquer tipo de literatura, esta (a literatura), deve sempre ser um apoio de maneira a colaborar no processo de conscientização e aculturamento das pessoas, deixando-as "melhores" e com mais alargados entendimentos sobre aquele terreno que atuam.

Quanto aos cursos vemos com muito bons olhos os "alunos" que procuram educação, informação e aprendizado ao invés de "FORMAÇÃO", nossa sugestão é que procurem os canais gratuitos e todos os livros de diferentes correntes de pensamentos, para desta maneira poderem embasar suas opiniões acerca de tantos temas inerentes a problemática religiosa que implica por exemplo a Umbanda, já que possui um caráter multicultural e de livre pensamento. Para começar recomendamos a leitura do livro "O Lado Oculto da Transição Planetária" que tanto contribuiu para elaborarmos este artigo...             
         
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário