segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

LIVRO – “NO MUNDO DOS ESPÍRITOS”



Publicado pela Editora do Conhecimento, o livro “No Mundo dos Espíritos”, reedita uma das mais importantes obras da história sobre literatura espiritualista e tem como seu autor Antônio Eliezer Leal de Souza, o primeiro escritor da Umbanda. Excelente livro principalmente para os pesquisadores e curiosos, encontramos relatos minuciosos dos cultos das Macumbas Cariocas e Umbanda além de centenas de casas espíritas mais delineadas com a doutrina de Kardec. O livro é o primeiro com relatos publicados sobre a Tenda Nossa Senhora da Piedade, inicialmente as publicações deram-se no chamado inquérito do Jornal “A Noite” para mais tarde ser editado em formato de livro. Diamantino Fernandes Trindade, Sacerdote Umbandista e historiador da Umbanda, autor de muitos livros de temática umbandista, cita na apresentação desta nova edição a importância histórica deste livro e reafirma sua importância.

O Inquérito, como foi chamado o periódico, teve fundamental importância para tentar explicar ao grande público a “explosão” de casas espíritas que surgiam na capital federal, destes relatos consequentemente verificamos por consequência de uma pesquisa eclética as descrições das Macumbas e tendas de Umbanda. Os relatos dotados sempre de imparcialidade jornalística, mostram a realidade do contexto religioso dos lugares visitados, além de colaborar para o entendimento das causas principais, de constituição da cultura espiritualista no Brasil, que se submete essencialmente a miscigenação destas expressões.

No caso da Umbanda, o autor registra na página 492, sob o título “O Centro Espirita Nossa Senhora da Piedade”, onde podemos perceber os traços que creditam outros livros da maneira como aconteciam os trabalhos na tenda do Caboclo das Sete Encruzilhadas, sendo neste momento chave da leitura para os umbandistas. Devemos também contextualizar e entender que nesta época, o senso comum subentendia as sessões espíritas, como um "emaranhado como se tudo fosse a mesma coisa", sobretudo carregadas de preconceito e relacionadas à feitiçaria. Os relatos serviram sem sombras de dúvidas, para desmistificar e pontuar as características de cada centro visitado transformando o imaginário popular tão arraigado, além de em muitos casos comprovar nos relatos a veracidade dos fatos apresentados.   
Leal de Souza publicaria ainda, “O Espiritismo a Magia e as Sete Linhas de Umbanda”, onde delimitava conceitos que caracterizava a Umbanda como um organismo independente dos cultos de Feitiçaria, Magia e Macumbas, além de ser o primeiro a explicar sob seus entendimentos o significado das sete linhas de Umbanda, ainda hoje tão discutas e pesquisadas. Algumas práticas registradas no livro são do universo de terreiros de Macumba e Encantaria, nestes em especial notamos traços que nos permitem traças diferenciações com os rituais umbandistas, e ao mesmo tempo em contraponto trazem-nos descrições que colaboram nas assimilações acerca das similitudes existentes entre as duas correntes que tanto confundem ao olhar dos leigos e sustentam as teorias sobre as sincretizações ocorridas. Abaixo listamos alguns capítulos onde tais informações podem ser verificadas.   
  • O Espiritismo na Macumba (pág. 149).
  • Desmanchando Despachos de Feitiçaria (pág. 247).
  • Um Caboclo Magnetizador (pág. 333).
  • O Terreio de Macumba (pág. 455). 
Nos capítulos listados percebemos nitidamente a mistura de elementos nos cultos espiritualistas, de modo que, se confirmam as associações das culturas formadoras e presentes na Umbanda. A ênfase nas diferenciações litúrgicas e doutrinárias dentro da religião resultado da não uniformização do culto que preserva as individualidades de cada terreiro. Todos sabemos que a Umbanda é uma religião única e independente, que traz em seu histórico uma única regra na qual deve manter-se padronizada, conforme o próprio Caboclo das Sete Encruzilhadas cravou... “Umbanda é a manifestação do espírito para caridade”...
Aos leitores reiteramos que leiam "No Mundo dos Espíritos" e mergulhem neste passado não tão distante, pois, certamente, além de agregarem conhecimento, verificarão quais são as raízes de um movimento social e religioso tão consolidado. As casas Espíritas, Tendas e Terreiros de Umbanda ajudaram a formar parte da cultura espiritualista tão marcante na identidade do Brasil. Reforçamos nossa satisfação em escrever através deste canal que foi "batizado" por influência do livro, o nome "No Mundo das Umbandas" faz alusão ao título. Não temos qualquer intenção de impor opiniões e tratamos todos os assuntos com muita responsabilidade, os pontos abordados neste texto em específico representam apenas nosso entendimento sobre o tema, esta é e será sempre uma marca dos nossos estudos.
         Axé e boa semana !

Nenhum comentário:

Postar um comentário